background

Notícias Contábeis

Fique por dentro das novidades da área contábil.

27/03/2020 Coronavírus: Governo anuncia R$40 bi para financiamento de salários de MPEs

Na manhã desta sexta-feira, 27, o presidente Jair Bolsonaro e Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, anunciaram uma verba de R$40 bilhões para financiar o pagamento de salários de funcionários de pequenas e médias empresas.
A maior parte do dinheiro (85%) será injetada pelo governo federal, sendo que esse dinheiro será retirado do Tesouro Nacional e o restante (15%), pelos bancos privados.
Essa é uma medida para evitar que a pandemia de coronavírus cause desemprego no Brasil e terá duração de dois meses, ou seja, o Governo disponibilizará até R$20 bilhões por mês para os pagamentos. Segundo o presidente do Banco Central, a verba estará disponível para as empresas em até duas semanas.
Depois desses dois meses, as empresas terão seis meses de carência e 36 meses para realizar o pagamento do empréstimo. Os juros desse financiamento serão de 3,75% ao ano. As negociações deverão ser realizadas junto aos bancos privados.

Financiamento de salários

Segundo o anúncio realizado hoje pela manhã no Palácio do Planalto, o Governo pagará os salários de até R$2.000 por funcionário de pequenas e médias empresas. A empresa poderá pagar o valor restante para os funcionários que recebem um valor acima do estabelecido pelo Governo para o financiamento.

Quem tem direito ao financiamento

Essa medida anunciada para o pagamento de trabalhadores pretende atingir 1,4 milhão de pequenas e médias empresas do país, num total de 12,2 milhões de pessoas. Porém, não é toda empresa que pode participar. O empréstimo só estará disponível para empresas que tenha faturamento anual entre R$360 mil e R$10 milhões. Vale ressaltar que o dinheiro deverá ser de uso exclusivo para a folha de pagamento das empresas.
Outro critério para pegar o financiamento é que a empresa terá que se comprometer a não demitir nenhum funcionário pelos próximos dois meses, já que a medida é para impedir demissões durante a pandemia de coronavírus.

VOLTAR